10ª CineBH - Mostra de Cinema de Belo Horizonte

MOSTRA CINEBH – 10 ANOS
PERSISTIR PARA AVANÇAR
ACREDITAR PARA COLHER
INSISTIR PARA VENCER
SONHAR PARA VIVER
CELEBRAR PARA NÃO DEIXAR MORRER
SEGUIR PARA CRIARSEMPRE
POSSIBILIDADES DE CONSTRUIR PONTES.
OUSAR É PRECISO

A Mostra CineBH celebra, em 2016, uma década de história. O evento nasceu no bairro de Santa Tereza,um dos mais tradicionais redutos culturais da capital mineira, e foi responsável pela reabertura do Cine Santa Tereza, cinema de bairro fundado em 1944 e desativado desde 1980. Na ocasião, a Universo Produção instalou “uma operação” em tempo recorde de reconstrução do espaço físico do cinema,entreaberto provisoriamente para ser sede do evento (2007-2011), e neste ano foi reinaugurado após a conclusão das reformas,tornando-se o único cinema de rua público da cidade. A Mostra CineBH retorna ao bairro para comemorar seus 10 anos e brindar o legado cinematográfico que motivou novas iniciativas e diálogos na comunidade, em Belo Horizonte e em Minas Gerais.

Ao longo de oito dias de programação oferecida gratuitamente ao público, a 10ª CineBHacontece em seis espaços públicos da cidade –Fundação Clóvis Salgado, MISCine Santa Tereza, Cine 104, Sesc Palladium, Teatro Sesiminas, Museu de Artes e Ofícios– e apresenta uma seleção de filmes nacionais e internacionais, em pré-estreias e retrospectivas, mostras temáticas. Promove debates, diálogos e encontros de negócios. Investe na formação e capacitação de profissionais com a oferta de oficinas,  workshops e masterclassese ainda realiza oCine-Expressão – A Escola Vai ao Cinema, programa que beneficia estudantes e educadores da rede pública de ensino,e a Mostrinha de Cinema,dedicada ao público infanto-juvenil.

 Nesta edição, a temática O plano contra a imagem: cinema da resistência,proposta pela curadoria assinada pelos críticos de cinema Francis Vogner dos Reis e Pedro Butcher, faz proposições importantes por meio de filmes, debates, diálogos e encontros com a intenção de pensar uma imagem de resistência diante da nova configuração da cultura de cinema. O cinema português será inspiração para refletir sobre essas questões e o diretor português João Cesar Monteiro, um dos grandes nomes da cinematografia mundial, foi escolhido para ser o homenageado do evento e ganha uma retrospectiva da sua obra.

Nas telas, 69 filmes(33 longas, 3 médias e 41 curtas)em pré-estreias nacionais e internacionais, retrospectivas e mostras temáticas de 13 paísesPortugal, França, EUA, Moçambique, Dinamarca, Argentina, México, Espanha, Paraguai, Bolívia, Reino Unido e Japão. Do Brasil,serão exibidas produções em pré-estreias de nove estadosMinas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia, Rio Grande do Sul, Paraíba e Ceará,apresentando a diversidade da produção cinematográfica mundial.

A10ª Mostra CineBH inaugura a programação com a pré-estreia nacional do longa Elon não Acredita na Morte, uma produção mineira dirigida pelo cineasta Ricardo Alves Jr., que 2013, ainda, na fase de desenvolvimento de roteiro, o projeto foi selecionado para a 4ª edição do Brasil CineMundi.

 Na Mostra Contemporânea, filmes brasileiros e estrangeiros dividem as atenções do público interessado em conhecer um recente e instigante panorama da cinematografia mundial.Na Mostra Diálogos Históricos, a proposta é não perder de vista a perspectiva histórica e, nesta edição,são exibidos trêsfilmes altamente representativos da sólida cultura cinematográfica com sessões comentadas pelo crítico convidado desta edição, o italiano Adriano Aprà, fundador da revista Cinema e Film e autor de diversos livros. Um dos nomes mais respeitados da reflexão cinematográfica em todo o mundo.

Na seleção de curtas assinada pelo crítico Francis Vogner dos Reis, 22 títulos em exibiçãofazem um apanhado das infinitas possibilidades do formato,apresentando trabalhos de pouca circulação em festivais brasileiros,abrindo possibilidades de descobertas e apreensão até então inéditas.

Uma das novidades desta edição é a Mostra A Cidade em Movimento,que abre espaço para o diálogo, o encontro, a exibição, que expressam as manifestações artísticas e sociais de questões relevantes para a cidade de Belo Horizonte. O público terá a oportunidade de conhecerquem movimenta a cidade, quais as relações estabelecidas entre as políticas urbanas, culturais e sociais propostas e os processos de resistência na capital. Como entender o papel dos atores nesses movimentos, como nos correspondemos e comunicamos com essafrente múltipla e diversa.

Simultaneamente a toda essa programação, acontece o Brasil CineMundi –InternationalCo-production Meeting, consolidado como evento de mercado audiovisual que faz conexão entre a produção brasileira independente e a indústria audiovisual. Em sua 7ªedição,o programaé referência  e plataforma de rede de contatos e negócios para o cinema brasileiro em intercâmbio com o mundo. Desempenha o papel de desenvolver, capacitar e solidificar os caminhos da coprodução no cenário do audiovisual brasileiro.

 Nesta edição, recebe 22 convidados internacionais representativos da indústria audiovisual mundial de 12 países Alemanha, Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, França, Itália, México, Portugal, Suíça, Uruguai–, que desembarcam na capital mineira para participar das diversas atividades promovidas pelo evento–seminário, debates, rodada de negócios, agenda de relacionamento, ações de cooperação e intercâmbio e premiação– e conhecer novos projetos brasileiros em fase de desenvolvimento e pré-produção.

 Integra também a programaçãoo Seminário Brasil CineMundi, que reúne 34 convidados nacionais e internacionais no centro dos debates, workshops, diálogos, encontros de coprodução, rodada de negócios, agenda de relacionamentos.Os desafios do setor audiovisual brasileiro no mercado global dão o tom da programação dos debates. Em pauta,o mercado audiovisual brasileiro, as políticas públicas, a coprodução internacional, o cinema documentário, as opções de intercâmbio e cooperação, as estratégias de inserção no mercado, distribuição e circulação de conteúdos, relato de experiências,e os mistérios que fazem do cinema português um dos mais interessantes produzidos no mundo, no passado e no presente.

Agradecemos aos patrocinadores, parceiros e apoiadores que somaram esforços para tornar possível esta realização, aos profissionais do audiovisual, pela genialidade que imprimem em seus trabalhos, e à equipe de trabalho, de curadores e colaboradores, pela dedicação e competência.

Em terras mineiras, dois importantes empreendimentos –10ª Mostra CineBH e 7º Brasil CineMundi– ganham o primeiro plano e marcam um tempo sublime de ideias, encontros, crítica e discussões. Iniciativas que contribuem positivamente para a aceleração do diálogo e da coprodução internacional.

 E como disse Guimarães Rosa, "As coisas mudam no devagar depressa dos tempos.
Quem elegeu a busca não pode recusar a travessia..." 

Aqui estamos, comemorando 10 anos de travessia, 
lembrando o começo de tudo,
acreditando em tudo o que já fizemos e no que está por vir.

VENCEDORES DO 7º BRASIL CINEMUNDI

O júri concedeu menção horrosa para o projeto “Filme de Sereia”, de Indira Dominici e produção de Marina Meliande.

Cinélatino, Rencontres de Toulouse - FRANCE
O produtor vencedor foi Henrique Zanoni, do projeto "A mãe", de Cristiano Burlan foi escolhido pelo Júri Oficial do 7º Brasil CineMundi.

DocMontevideo - URUGUAI
O produtor vencedor foi André Hallak, do projeto "Arquivos de Lava", de Felipe Chimicatti e Pedro Carvalho foi escolhido pelo Júri Oficial do 7º Brasil CineMundi.

TorinoFilmLab - ITÁLIA
O produtor vencedor foi Ticiana Augusto Lima, do projeto "Natan", de Luciana Vieira e Victor Costa Lopes foi escolhido pelo Júri Oficial do 7º Brasil CineMundi.