Depoimentos

Depoimentos de 2015

“Mate-Me por favor é meu primeiro longa metragem e ele acompanha um grupo de jovens no bairro do Rio de Janeiro, chamado Barra da Tijuca que são afetadas por um serial killer que começa a matar jovens mulheres no bairro. Então o filme trata muito de como esses jovens, especialmente uma garota chamada Bia reage a essa onda de violência no bairro que vive. Eu estou muito feliz de estar apresentando o filme aqui, porque há 3 anos atrás eu estava aqui na CineBH participando do encontro do CineMundi com o projeto desse longa-metragem e agora eu volto aqui para mostrar o filme. Então para mim é muito gratificante voltar com o filme pronto. ao mesmo tempo é meu primeiro longa, mas tenho 3 curtas e todos passaram pelos festivais da Universo, no caso a Mostra de Tiradentes, então tenho uma ligação com as mostras que a Universo produz e estou muito feliz de estar aqui na abertura apresentando o Mate-Me, por favor”.
Anita Rocha da Silveira
Diretora do filme “Mate-me por favor” - RJ

“Acho que a oficina é uma oportunidade para toda a comunidade. São oficinas gratuitas e traz esse acesso para o restante das pessoas. A gente não tem bem essa  educação cinematográfica e é algo importante, é uma coisa que valoriza a cultura e é importante que as pessoas tenham acesso a isso. Então acho super interessante esse tipo de iniciativa, trazer as pessoas para o meio, conhecer um pouquinho mais, entender não só conhecer filmes novos e diretores novos, mas também o por trás disso, os processos e tudo mais”.
Beatriz França
Aluna de oficina - MG

“É a minha primeira vez em Belo Horizonte e estou muito feliz por estar aqui. Não é a primeira vez que trabalhamos com filmes brasileiros. Tivemos três filmes brasileiros que foram vendidos em todo o mundo e foi uma grande experiência. Então, é por isso que eu estou procurando por novos projetos. É uma grande oportunidade também para eu ver quais são os projetos em desenvolvimento, em preparação, que poderiam ser interessantes para distribuição internacional”.
Gabor Greiner
Films Boutique - Alemanha

“Eu acho o Brasil CineMundi muito importante, porque o que se está tentando fazer aqui é uma conexão, uma rede. Trata-se de entrar em contato uns com os outros para pensar sobre os projetos e apresentá-los. É uma possibilidade para cineastas brasileiros de entrar em contato com profissionais internacionais da América Latina, da Europa, dos Estados Unidos e outros países e regiões, a fim de ter uma visão sobre os projetos. Eu acho que no Brasil é possível produzir filmes, mas este acesso ao mercado, esta partilha de experiências, trabalhando juntos, seja neste ou em outro projeto, é muito importante, em diferentes níveis. No plano financeiro, que pode ser interessante, mas também no que diz respeito ao acesso ao mercado. Assim, os filmes brasileiros podem viajar para os festivais e para outros mercados. Para fazer uma carreira é importante não ficar só no Brasil, mas se conectar a outras pessoas, profissionais de mercado, outros públicos também”.
Gudula Meinzolt
Brasil CineMundi – Suíça

"Pra gente que trabalha na articulação de diferentes espaços é muito importante estas circunstâncias para conhecer projetos, conhecer produtores e conhecer também outras pessoas que estão desenvolvendo iniciativas de fomento para o setor audiovisual e, particularmente, pra gente, para o documentário”.
Luis González
Doc Montevideo - Uruguai

“É importante para mim, porque eu não sei muito sobre o cinema brasileiro ou sobre as pessoas que estão fazendo filmes, hoje, no Brasil e no espaço independente. Portanto, é uma grande oportunidade de conhecer quem está trabalhando, em que tipo de projeto, e como eles podem se tornar parceiros no futuro. É muito útil para conhecer pessoas cara a cara, ao invés ficar em Nova York, enviando e-mails ou conversando por telefone. Estar aqui, pela primeira vez, e conseguir ter um senso do Brasil e das pessoas, está sendo muito útil para desenvolver algo ao longo do tempo”.
Michael Raisler
Cinereach – EUA

“É a minha primeira participação no CineMundi e em Belo Horizonte. Estou feliz por estar aqui. É bom ter a chance de conhecer novos produtores e cineastas do país e ver a criatividade que vocês têm aqui no Brasil sobre o cinema”.
Rémi Bonhomme
Semana da Crítica de Cannes – França