Projeto mineiro "Bate e volta Copacabana", produzido por Marcella Jacques e com direção de Juliana Antunes, é o grande vencedor do 8º Brasil CineMundi

Dupla vencedora fez o longa-metragem “Baronesa”, ganhador do prêmio do júri da crítica na Mostra de Tiradentes em janeiro; parceiros do programa de coprodução realizado na CineBH também escolheram projetos para participarem de outros encontros e rodadas de conversa

A cerimônia de encerramento do Brasil CineMundi – 8th International Coproduction Meeting, na noite de domingo (27) no Teatro Sesiminas, teve o anúncio do projeto vencedor e de outros selecionados para ganharem prêmios oferecidos por parceiros do programa de coprodução. Durante quase uma semana, foram realizadas 200 rodadas de meetings on to one no Museu de Artes e Ofícios, onde 22 produtores apresentaram suas ideias convidados. Os jurados da categpria CineMundi desse ano foram Michelle van Beusekom (diretora executiva da National Film Board of Canada), Augusto Matte (produtor da Jirafa, no Chile) e Raquel Daisy Ellis (produtora da Desvia, no Brasil.

O ganhador foi “Bate e Volta Copacabana” (MG), da produtora Marcella Jacques e direção de Juliana Antunes. Segundo o júri, a escolha se deu pelo “reconhecimento à clareza da diretora na sua visão singular sobre um universo pouco visto no cinema brasileiro e por sua firmeza em escolhas enquanto abordagem artística”. A dupla é a mesma responsável por “Baronesa”, longa-metragem premiado em janeiro de 2017 pelo júri da crítica na Mostra de Cinema de Tiradentes.

O projeto ganha prêmios dos parceiros da Cine BH: CIARIO (R$ 20.000 em serviços de iluminação, acessórios e maquinaria), CINECOLOR (R$ 15.000 em serviços de finalização), CTAv (empréstimo de câmera digital SI-2 por 4 semanas, DOTCINE (R$ 15.000 em serviços de finalização), MISTIKA (R$ 15.000 em serviços de finalização) e PARATI FILMS (tradução de roteiro para o francês). O projeto ganha ainda uma vaga para a produtora participar do  Producer´s Network na próxima edição do Ventana Sur (29 de novembro a 3 de dezembro de 2017), na Argentina, e uma passagem internacional oferecida pelo Itamaraty.

 O júri do CineMundi também decidiu por uma menção honrosa para “Despedida” (RS), de Luciana Hübner Mazeto e produção de Eduardo D. Piotroski, pela “complexidade narrativa e emocional impressionante”, voltada a um público infantojuvenil e que “proporcionará para os jovens espectadores uma alternativa necessária dentro do panorama atual do audiovisual brasileiro”, segundo palavras dos jurados.

Os programas de coprodução parceiros da CineBH definiram seus premiados dentre os projetos participantes do Brasil CineMundi. O Torino Film Lab, que tem objetivo de destacar produtores que trabalham no desenvolvimento da cena cinematográfica local e independente e que desejam construir colaborações internacionais frutíferas, escolheu “Tia Virgína” (SP), produção de Janaína Diniz Guerra e direção de Fábio Meira. “A produtora escolhida possui o perfil certo para aproveitar ao máximo as oportunidades oferecidas pela participação no TFL Meeting Event”, destacaram os responsáveis pelo Torino Film Lab. “O prêmio irá ajudá-la a desenvolver seus contatos em nível internacional e propiciar iniciativas de negociação comercial para os projetos que estão sendo desenvolvidos, bem como oferecer suporte para os seus próximos trabalhos”. O projeto leva ainda uma passagem internacional oferecida pelo Itamaraty.

Para o prêmio do DocMontevideo – Doc Brasil Meeting, que oferece vagas para os encontros de coprodução durante o festival uruguaio, em julho de 2018, o selecionado foi “TU I TAM” (PR), com produção de Larissa Figueiredo e direção de Rafael Urban. A justificativa exalta “a submersão nos mistérios do processo de adaptação e de construção da identidade de um ser humano a partir de um ponto de vista sincero e sensível”.

O DOCSP, que premia produtores de documentário da categoria Foco Minas com acesso à programação da Roda de Negócios da próxima edição do DocSP (em outubro deste ano), definiu dois projetos como vencedores: “Brasiliana e o Descobrimento do Brasil”, de Itamar Dantas e Daniel Couto, pelo “retrato de uma companhia de música e dança que nos permite descobrir o Brasil dos anos 1950 e 60 em sua riqueza, diversidade, contradições e preconceitos”; e “Terras Remotas”, de Simone Cortezao e Matheus Antunes, por “acompanhar um processo de exploração artística e narrativa que já vem sendo desenvolvido em trabalhos anteriores”.

Confira a lista de premiados:

PRÊMIO BRASIL CINEMUNDI:

Projeto: BATE E VOLTA COPACABANA - MG
Diretor: Juliana Antunes Coutinho Morais
Produtor: Marcella Jacques Guimarães 

MENÇÃO HONROSA BRASIL CINEMUNDI

Projeto: DESPEDIDA - RS
Diretor: Luciana Hübner Mazeto
Produtor: Eduardo D. Piotroski 

TORINO FILM LAB

Projeto: TIA VIRGÍNIA - SP
Diretor: Fábio Meira
Produtor: Janaina Diniz Guerra 

DOC MONTEVIDEO

Projeto: TU I TAM - PR
Diretor: Rafael Wandratsch Urban
Produtor: Larissa Maria Figueiredo Mendes

DOCSP

Projeto: BRASILIANA E O DESCOBRIMENTO DO BRASIL - MG
Diretor: Itamar Dantas de Oliveira
Produtor: Daniel Brandi do Couto 

Projeto: TERRAS REMOTAS - MG
Diretor: Simone Cortezão Freire
Produtor: Matheus Antunes Ribeiro de Oliveira

Foto: Leo Lara/ Universo Produção