Oficinas

Inscrições até 10 de agosto: clique aqui

OFICINAS

 ANÁLISE DE ESTILOS CINEMATOGRÁFICOS (JÚRI JOVEM PARA A 21ª MOSTRA DE TIRADENTES)
Instrutor: Cleber Eduardo – SP
Data: 25 a 27 de agosto
Horário: 14h às 18h
Carga horária: 12h
Número de vagas: 30
Faixa etária: 18 a 25 anos

Desenvolver análise crítica e estética de filmes brasileiros contemporâneos e selecionar os cinco integrantes do Júri Jovem, que elegerá o melhor longa da Mostra Olhos Livres, em Tiradentes 2018.

 CINECLUBES NAS ESCOLAS: EXPERIÊNCIAS E POSSIBILIDADES
Instrutora: Ana Lúcia de Faria e Azevedo – MG
Data: 26 e 27 de agosto
Horário: 09h às 13h e 14h às 18h (sábado) e 14h às 18h (domingo)
Carga horária: 12h
Número de vagas? 20
Faixa etária: acima de 18 anos

 A partir de um breve histórico da exibição de filmes no ambiente escolar e da discussão dos aspectos essenciais para a organização de atividades cineclubistas nesse contexto, a oficina pretende apresentar e discutir as várias possibilidades e os desafios dos cineclubes escolares, expondo e analisando projetos já existentes e imaginando propostas a serem criadas e implementadas.

 CINEMA QUEER – OS GESTOS DA DIREÇÃO, OS GATILHOS DA CRIAÇÃO
Instrutor: Marcelo Caetano – SP
Data: 23 de agosto
Horário: 10h às 13h e 14h à 17h
Carga horária: 6h
Número de vagas: 30
Faixa etária: acima de 18 anos

O curso discutirá o fazer cinematográfico a partir da relação entre escolhas de roteiro e mise-en-scène com textos teóricos e literários como gatilhos para a criação. Em “Bailão” e escolha pela privacidade de um grupo de homossexuais da terceira idade quase levou inviabilidade do documentário. Quais foram as estratégias para filmar corpos que não buscavam a visibilidade? Em “Na sua companhia” as diferenças sociais, etárias, raciais entre um professor e um cozinheiro gerou uma fissura no modo de representar o desejo dentro do prisma das relações de poder no Brasil. Já em “Corpo Elétrico”, o encontro com um poema de Walt Whitman levou o diretor a questionar as estruturas narrativas tradicionais, levando à pergunta: é possível falar de uma temporalidade queer?

 CONTEÚDO AUDIOVISUAL E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS
Instrutor: Wladimir Winter – SP
Data: 23, 24 e 25 de agosto
Horário: 14h às 18h
Carga horária: 12h
Número de vagas: 40
Faixa etária: acima de 18 anos

Dar um panorama geral de como a indústria do entretenimento (cinema, séries) está mudando e junto com ela a nova forma de fazer publicidade através de conteúdo.

DA FAÍSCA DE UMA IDEIA AO ROTEIRO CINEMATOGRÁFICO
Instrutor: Di Moretti – SP
Data: 23, 24 e 25 de agosto
Horário: 09h30 às 13h30
Carga horária: 12h
Número de vagas: 30
Faixa etária: acima de 18 anos

 A oficina engloba temas específicos que descrevem a confecção de um roteiro cinematográfico. Cada módulo se divide em diversas atividades, apresentação de um tema específico e pequenos exercícios práticos.

 MASTERCLASS

MASTERCLASS COM PIERRE LÉON
Instrutor: Pierre Léon – França
Data: 23 de agosto
Horário: 14h às 15h30
Carga horária: 01h30
Número de vagas: 40
Faixa etária: acima de 18 anos 

Crítico, ator, cineasta francês e homenageado da Mostra CineBH e Brasil CineMundi 2017 tem uma carreira de diretor há quase três décadas, com a realização de curtas, médias e longas-metragens. Cineasta de produções modestas e ideias vigorosas, seus filmes carregam traços e elementos comuns no repertório do cinema moderno francês, principalmente no gosto pelo romanesco (sua forma, sua perspectiva moral) e na consciência moderna que marca o estilo e dramaturgia.

 WORKSHOP

 WORKSHOP INTERNACIONAL DE CINEMA DOCUMENTÁRIO
Instrutoras: Anna Glogowski (França/Brasil) e Gudula Meinzolt (Suíça)
Data: 25 de agosto
Horário: 14h às 15h30
Carga horária: 01h30
Número de vagas: 40
Faixa etária: acima de 18 anos

Desenvolver um documentário exige que o diretor coloque essa pergunta a si mesmo todos os dias....e que ele possa sempre não somente responder a essa pergunta com convicção, mas também defendê-la perante terceiros, a fim de transformar o que partiu de um forte desejo pessoal em uma necessidade para o interlocutor, parceiro, produtor, financiador e o "commissioning editor" que o diretor (e/ou o produtor) terá à sua frente.

Como transformar um fato e uma história observados, num olhar singular e convincente? Que filme desejo fazer? Como pretendo fazê-lo? Por que um tal filme só poderia ser feito por mim? Quando? Em que fase eu me encontro para realizar o meu desejo? Do que necessito hoje? E depois?